terça-feira, 10 de dezembro de 2013

O sonho comanda a vida [por Lawrence of Arabia]



Tive professores inspiradores, sobretudo as de língua francesa e inglesa. Mulheres extraordinárias que elevavam a fasquia, que puxavam por nós, que nos davam ritmo e nos faziam querer ser melhores. Lembro-me da sensação de treinar, de escrever e reescrever até as frases saírem perfeitas e naturais. Lembro-me da noção de brio, de esforço e do prazer que tinha. Na verdade, o prazer estava mais no processo do que nos resultados.

Recordo-me que a minha professora de inglês trazia-nos frequentemente frases ou recortes de jornais e revistas inglesas. E uma vez deixou-nos um texto que me havia de marcar pela simplicidade, pela provocação e pela força que tinha. Ainda hoje o sei de cor. Esta é a essência deste desafio.

“All men dream: but not equally. Those who dream by night in the dusty recesses of their minds wake up in the day to find it was vanity, but the dreamers of the day are dangerous men, for they may act their dreams with open eyes, to make it possible.”

T.E. Lawrence


Todos os homens sonham, mas não de forma igual. Os que sonham durante a noite nos recantos empoeirados das suas mentes acordam e verificam que tudo vaidade, mas os que sonham durante o dia são homens perigosos porque levam os seus sonhos de olhos abertos para os fazer acontecer.



1 comentário: